Banana bread, o pão de banana metido

DSC00884

Eu to cheia de assuntos pra colocar aqui, mas nesses últimos dias fiquei tão concentrada em deixar a casa em ordem que acabei largando o blog de lado. Pra completar troquei recentemente de computador e além de não estar acostumada com ele, ainda não consegui passar meus arquivos pra cá. Então, enquanto as fotos que separei pra ilustrar os posts não vêm morar na máquina nova, vou deixar pra vocês uma receita que fiz ontem e que já tem lugar de destaque no meu caderninho: banana bread.

Apesar do nome “pão de banana”, esse é na verdade um bolo assado numa fôrma de pão. Muito popular na Austrália, o banana bread já ganhou várias versões, e essa aqui é a minha, sem glúten, sem leite e sem ovos, uma opção vegana cheia de sabor e nutrientes.

DSC00882

Banana bread vegano

3 bananas prata, grandes e bem maduras

1 ovo vegetal – em um potinho coloque 1 colher (sopa) de farinha de linhaça dourada e mais duas colheres (sopa) de água. Misture e deixe descansar por 15 minutos.

3 colheres (sopa) de óleo de coco líquido – se estiver frio e o óleo solidificado, coloque uns 20 segundos no micro-ondas para derreter

1/3 de xícara de açúcar mascavo

1/3 de xícara de melado de cana

1 colher (sopa) de fermento em pó

1 pitada de sal

1 colher (café) de canela em pó

180ml de leite de coco caseiro

1 xícara bem cheia de farinha de amêndoas – só triturar as amêndoas sem sal no liquidificador at[e obter uma farinha

1 xícara bem cheia de farinha de aveia sem glúten – só bater a aveia no liquidificador at[e obter uma farinha fina

1/2 xícara de polvilho doce

1/2 xícara de amido de milho

Como faz:

Pre-aqueça o forno a 180 graus. Unte uma fôrma de bolo inglês com óleo de coco – ou outro óleo vegetal – e forre com papel manteiga, depois unte com óleo também o papel. Em uma tigela grande coloque as bananas e amasse bem com um garfo, até formar um purê. Acrescente todos os demais ingredientes, deixando por último as farinhas. Misture vigorosamente com uma espátula ou colher de pau, até ficar homogêneo. Despeje a massa na fôrma preparada e leve ao forno por aproximadamente 40 minutos, ou até que a superfície esteja dourada e, ao espetar um palito, ele saia limpo. Aproveite pra fazer um café bem gostoso e divida com quem você ama.

DSC00885

 

Bolinho vegano de cacau e abobrinha

006Sim gente, abobrinha! Quando eu comecei a testar receitas de bolos e pães sem glúten, logo me deparei com um problema: massa seca e esfarelenta. Agora então, que estou usando o mínimo possível de ovos e leite, fiquei ainda mais preocupada achando que os bolos seriam todos duros e sem graça.

E é aí que entra a abobrinha, que a princípio pode parecer um ingrediente estranho, mas enriquece a massa e dá uma textura mais densa e úmida, sem deixar nenhum sabor. Pode confiar, esse bolinho tem gosto de chocolate, e só.

Para substituir o ovo, eu usei uma misturinha de chia e água que chamo de “ovo vegetal”, é só bater a chia no liquidificador até obter uma farinha. Depois coloque em um potinho 1 colher de sopa rasa da farinha de chia e 2 colheres de sopa de água, misture e deixe descansar um pouco até ficar com consistência de clara de ovo. Esse preparado equivale a um ovo, aqui nessa receita vamos usar 3. Olha que fácil:

012

Bolinho vegano de cacau e abobrinha – sem glúten

ingredientes para 12 bolinhos:

140g de farinha de arroz integral

50g de polvilho doce

50g de amido de milho

40g de cacau em pó

100g de chocolate meio amargo triturado no liquidificador ou no processador – verifique a embalagem para ter certeza de que é sem glúten e sem lactose

100g de açúcar demerara

1 colher (chá) de fermento em pó

1 colher (chá) de bicarbonato de sódio

1 pitada de sal

80g de óleo de coco – se estiver solidificado, aqueça até ficar líquido

2 xícaras (chá) de abobrinha ralada com casca – use o ralador mais fino

3 ovos vegetais

meia xícara de água

Faz assim:

Pre-aqueça o forno a 180 graus. Coloque as forminhas de papel nas cavidades da fôrma. Em uma vasilha misture os secos, menos o açúcar. Em outra tigela coloque o açúcar e o óleo de coco, mexa bem com um fouet ou com espátula, junte à essa mistura os 3 ovos vegetais, misture mais uma vez e reserve. Em uma tigela grande coloque a abobrinha ralada e adicione à ela metade da mistura de secos. Mexa com uma colher, tentando deixar os pedaços de abobrinhas envoltos pela farinha, sem fazer pelotas. Agora coloque o restante dos secos, os líquidos e a meia xícara de água. Misture bem e em seguida coloque colheradas da massa nas forminhas de papel. Leve ao forno por aproximadamente 25 minutos, ou até que, enfiando um palito nos bolinhos, ele saia seco. Retire do forno, passe um café e aproveite 🙂

004

Nice cream de banana, coco e maracujá

Eu já contei aqui que tô fazendo acompanhamento nutricional pra me ajudar nessa transição para o vegetarianismo e também pra perder uns quilinhos que estão me incomodando. O meu cardápio de reeducação alimentar seria bem tranquilo, não fosse a falta de açúcar. Gente, eu fico sem fritura, sem cerveja, sem carne, sem queijo… mas sem doce, é literalmente de amargar.

008

Então, pra dar uma aliviada na vontade que tenho de enfiar a cara numa panela de brigadeiro, eu ando fazendo umas invenções com as frutas que posso comer durante o dia. O nice cream é a melhor delas, fácil, rápido e tão saboroso que você nem vai acreditar. Não tem nada a ver com comida de regime – até porque, se tem uma coisa na qual eu não acredito é regime e comidas light de supermercado – a textura é fenomenal e a gente fica se sentindo feliz e satisfeito.

Outra coisa boa desses sorvetes naturais, é que você consegue aproveitar ao máximo as frutas, sem deixar nada estragar. É só ficar de olho na fruteira e quando perceber que tem alguma coisa muito madura, descasca, pica em pedaços, coloca num pote e manda pro congelador. Pode fazer com banana, manga, mamão, morango e qualquer outra fruta que tenha a polpa carnuda. É o melhor lanche da tarde!

012

Nice cream de banana, coco e maracujá

ingredientes para 1 porção:

2 bananas prata congeladas – tem que ficar no freezer por no mínimo 4 horas

1 colher (sopa) de coco fresco ralado – eu usei o bagaço que sobrou do leite de coco que fiz em casa

suco de meio limão

polpa de meio maracujá

um punhado de castanha picada

Retire a banana do congelador e coloque no liquidificador. Acrescente o coco ralado e o suco do limão. Vá pulsando e batendo aos poucos, é preciso ter paciência e parar o liquidificador, abrir, mexer com uma colher, pra depois bater outra vez. Se estiver muito difícil, pode colocar um pouquinho de água gelada, mas bem pouco mesmo, ao então a textura vai ficar molenga e sem graça. Quando estiver cremoso, retire do liquidificador e coloque num potinho de servir. Despeje a polpa do maracujá com as sementes por cima do creme de banana e coco, salpique as castanhas e coma em seguida. Se quiser uma sobremesa mais doce, pode colocar melado de cana, agave ou açúcar demerara, mas de verdade, nem precisa 😉

007

30 dias sem carne

Parece que foi ontem que decidi começar esse blog, mas já se passaram 30 dias sem carne e eu tenho a sensação de que essa é uma decisão pra vida toda.

30 dias

Para ser bem sincera, não tenho sentido a menor falta de qualquer carne, a única coisa que ainda acho um pouco difícil de lidar são com as saídas, principalmente aquelas do tipo almoço ou janta na casa de alguém. Vou explicar, nessas ocasiões eu continuo super tranquila sem comer carne, o que me incomoda é quando alguém fica insistindo pra que eu coma alguma coisa que não quero ou se percebo que a pessoa tá mega preocupada em fazer coisas que eu possa comer. Mas já achei um jeitinho bem bacana de contornar essas situações, e dependendo do grau de intimidade com a pessoa já me ofereço pra levar alguma coisa e preparo um prato vegetariano que todos possam experimentar. Funciona.

Aliás, deixa eu falar uma outra coisinha sobre “as pessoas”, de tanto ler o depoimento de vegetarianos e veganos nas redes sociais, eu achava que iria enfrentar umas discussões pesadas sobre a minha alimentação, mas me surpreendi positivamente. Minha sogra, assim que soube, me deu um livro cheio de receitas vegetarianas. Minha tia me mandou link de um vídeo bastante interessante sobre consumo de carne. Algumas amigas vieram cheias de curiosidade querendo saber mais do assunto. E tudo parece caminhar tranquilo.

Para garantir que essa caminhada seja saudável, eu fiz algumas consultas e exames. Já passei pelo endócrino, nutricionista e nessa semana vou também no cardiologista. Quem me conhece sabe que sempre travei uma batalha dura com a balança, mas mesmo oscilando alguns quilos, sempre mantive um peso que, para mim, era confortável. Só que isso mudou um tanto depois que eu parei de tomar anticoncepcional, engordei e não consegui emagrecer por nada no mundo. Por isso, a minha orientação nutricional, além de auxiliar nas substituições da carne, também é voltada para a perda de peso.

30 dias 2

Estou adorando testar novas receitas e conhecer alimentos que antes não chegavam na minha cozinha. Também encontrei uma rede enorme de pessoas que optaram por uma alimentação sem crueldade e comecei a me comunicar com elas através do instagram (@umanosemcarne). Esse contato é ótimo porque fortalece a minha decisão e me traz informações e dicas todos os dias. Para quem está começando a tirar a carne do cardápio, vale a pena seguir alguns destes perfis, tem muita inspiração para montar os pratos e criar boas receitas.

Por enquanto não senti nenhuma grande mudança física, mas a minha sensação, depois de terminar uma refeição cheia de alimentos vivos e coloridos, é fantástica. Sei que estou nutrindo meu corpo com aquilo que há de melhor na natureza, e fico imensamente feliz por não ser responsável pela matança de animais que acontece todos os dias, apenas para satisfazer um gosto.

30 dias sem carne pode parecer pouco tempo, mas é tempo suficiente para despertar nossa consciência e melhorar a nossa relação com o alimento.

Comece. Pelo planeta, pelos animais, pela sua saúde.