30 dias sem carne

Parece que foi ontem que decidi começar esse blog, mas já se passaram 30 dias sem carne e eu tenho a sensação de que essa é uma decisão pra vida toda.

30 dias

Para ser bem sincera, não tenho sentido a menor falta de qualquer carne, a única coisa que ainda acho um pouco difícil de lidar são com as saídas, principalmente aquelas do tipo almoço ou janta na casa de alguém. Vou explicar, nessas ocasiões eu continuo super tranquila sem comer carne, o que me incomoda é quando alguém fica insistindo pra que eu coma alguma coisa que não quero ou se percebo que a pessoa tá mega preocupada em fazer coisas que eu possa comer. Mas já achei um jeitinho bem bacana de contornar essas situações, e dependendo do grau de intimidade com a pessoa já me ofereço pra levar alguma coisa e preparo um prato vegetariano que todos possam experimentar. Funciona.

Aliás, deixa eu falar uma outra coisinha sobre “as pessoas”, de tanto ler o depoimento de vegetarianos e veganos nas redes sociais, eu achava que iria enfrentar umas discussões pesadas sobre a minha alimentação, mas me surpreendi positivamente. Minha sogra, assim que soube, me deu um livro cheio de receitas vegetarianas. Minha tia me mandou link de um vídeo bastante interessante sobre consumo de carne. Algumas amigas vieram cheias de curiosidade querendo saber mais do assunto. E tudo parece caminhar tranquilo.

Para garantir que essa caminhada seja saudável, eu fiz algumas consultas e exames. Já passei pelo endócrino, nutricionista e nessa semana vou também no cardiologista. Quem me conhece sabe que sempre travei uma batalha dura com a balança, mas mesmo oscilando alguns quilos, sempre mantive um peso que, para mim, era confortável. Só que isso mudou um tanto depois que eu parei de tomar anticoncepcional, engordei e não consegui emagrecer por nada no mundo. Por isso, a minha orientação nutricional, além de auxiliar nas substituições da carne, também é voltada para a perda de peso.

30 dias 2

Estou adorando testar novas receitas e conhecer alimentos que antes não chegavam na minha cozinha. Também encontrei uma rede enorme de pessoas que optaram por uma alimentação sem crueldade e comecei a me comunicar com elas através do instagram (@umanosemcarne). Esse contato é ótimo porque fortalece a minha decisão e me traz informações e dicas todos os dias. Para quem está começando a tirar a carne do cardápio, vale a pena seguir alguns destes perfis, tem muita inspiração para montar os pratos e criar boas receitas.

Por enquanto não senti nenhuma grande mudança física, mas a minha sensação, depois de terminar uma refeição cheia de alimentos vivos e coloridos, é fantástica. Sei que estou nutrindo meu corpo com aquilo que há de melhor na natureza, e fico imensamente feliz por não ser responsável pela matança de animais que acontece todos os dias, apenas para satisfazer um gosto.

30 dias sem carne pode parecer pouco tempo, mas é tempo suficiente para despertar nossa consciência e melhorar a nossa relação com o alimento.

Comece. Pelo planeta, pelos animais, pela sua saúde.

4 comentários sobre “30 dias sem carne

  1. Estou seguindo seu instagram para me ajudar em opções de alimentos. Não estou conseguindo consumir carne, estou achando um alimento indigesto (o sabor não me agrada, apenas se muito temperado e “no meio” de alguma coisa). Estou tentando parar com o lácteos também. Ficar sem comer carne não é um problema pra mim, o problemas é substituí-la. Acabo comendo as mesmas frutas, legumes e vegetais e… ovos. Dá uma depressão hahahaha motivo que despertou meu paladar para doces, nunca foi minha preferência, mas até leite condensado está suprindo alguma “carência” que insiste em permanecer. Parabéns pelo conteúdo, estou no F5 acompanhando tudo.
    Ah! Mais uma coisa, estou no processo para encarar o “desmame” do anticoncepcional (não consigo mais engolir essa bomba hormonal sintética), tentando me preparar para minimizar os possíveis efeitos de abstinência.

    Obrigada!

    Curtir

    1. Oi Marina! Antes de parar com a carne eu também ficava nessa de comer apenas aquelas que estavam com molho, creme, ou misturada com outros ingredientes, acho que isso foi até um incentivo, porque percebi que não gostava da carne, mas sim dos acompanhamentos. Eu também tinha algumas dúvidas em relação às substituições, mas seguir vários perfis e assistir videos no youtube tem me ajudado bastante. Como estou relatando minha experiência, decidi procurar uma nutricionista que me orientasse da forma certa, pra que eu não dissesse bobagem por aqui rs. Não sou especialista, mas acho que as leguminosas são boas fontes de proteína – feijão, lentilha, grão de bico, ervilhas – você pode consumi-los na forma que preferir e também dá pra moldar hambúrgueres e bolinhos. Cogumelos e tofu também são fontes de proteína. Mas se sentir muita dificuldade, procure um especialista. Em casa eu já cortei leite, derivados e estou, aos poucos, tirando os ovos, mas ainda consumo quando saio.
      Agora, o anticoncepcional, isso foi uma libertação pra mim! Já passei por algumas situações que me deixaram preocupada, inchaço e dor nas mamas, retenção de líquido absurda, enxaqueca…. afe nem gosto de lembrar. Parei com a pílula e coloquei o DIU de cobre, e apesar de ter sofrido logo que parei, sei que foi a melhor decisão.
      Boa sorte na trajetória, vamos nos falando por aqui 🙂
      Obrigada por comentar!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s